quarta-feira, 9 de julho de 2008

Simplesmente Amar


Rosa em pétala púrpura,
Intensa no seu perfume,
Cuidada com a doçura da sua pele,
Afável de trato delicado.
Forte,
Escarnecida em subtileza,
Provoca meu coração,
Mergulhado pelo mar forte,
Atormentado pelo vento,
Naufragado pela vida,
Descoberta do tesouro?
Espaço para se lograr,
E simplesmente amar.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

SONHO OU VIDA




Não te esqueças do sonho
O sonho que te faz viver
Não te esqueças que a vida
É um sonho por completar.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

DOIS OLHARES


Dois olhares que se cruzam
Em paredes por desbravar
São serpentes que usam
O coração para falar.

Dois olhares que se cruzam
Que se gostam sem falar
São silêncios em que mudam
O som do meu pulsar.

Dois olhares que se cruzam
Namorando sem saber
São nos beijos em que lutam
No sabor que quero ter.

Dois olhares que se cruzam
Pioneiros da vontade
São almas que por fim mudam
Pela vontade de amar.

domingo, 25 de maio de 2008

Há dias assim

Há dias em que minh’alma
Suplica sozinha pela tua,
Como um sussurro, levado pelo tempo,
Como um pássaro, levado pelo vento.

Há noites em que minh’alma
Grita no escuro, muda,
Como que esquecida, pelo medo,
Como que perdida, no silêncio.

Há tardes em que minh’alma
Percorre as estradas da vida
Como um sonho tenebroso
Como um filme, preto e branco.

Há manhãs em que minh’alma
Desperta docemente pensando em ti
Como que de um sonho bom
Como um toque de magia.

Há outros em que minh’alma
Simplesmente brinca, pensa, sorri, chora,
Em que loucamente grita por teus braços
Num aperto forte e quente.

Há aqueles em que minh’alma
Sai, percorre teus contornos
Paira em teu coração
Junta o sonho à emoção.

Há tempos em que minh’alma
Sente medo, frio, dor,
Sente o fogo ardente que me consome
Que respira somente por ti.

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Pensamento


Se uma lágrima te cair
Não te importes, começa a sorrir
Se o teu coração aperta
Então liberta-o fá-lo florir.

Partida

Porquê? Foi uma partida sem resposta,
Foi um ida sem volta,
Foi um fogo sem chama,
Naquela noite demoníaca.

Tua alma de teu corpo despertou,
Teu corpo não mais andou,
Tua boca não mais falou,
Naquela noite demoníaca.

Teu pé escorregou,
Teu corpo não aguentou,
E a morte nos separou,
Naquela noite demoníaca.

O orvalho caiu,
A noite subiu,
E tu não voltaste,
Naquela noite demoníaca.

(Para ti meu Pai)

Vou subir Mais alto


Vou-te dar o meu mar
E pedir esse céu
Vou colher uma estrela
Escalar o teu luar.

Vou-te dar o meu mundo
E sentir o teu Sol
Que me ilumina a vida
Que aquece o coração

Vou subir bem alto
Onde tudo é magia
Vou-te ter a meu lado
E torna-lo real.

Vou subir bem alto
Onde tudo é magia
Vou-te dar um coração
Que será sempre leal.

(Para ti Amor)

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Ponto de Partida


Quando me lembro de ti
Sinto que o sonho começou
Sinto a tua presença
E o perfume que emanou.

Quando esse sonho começou
Nesse olhar que penetrou
Nos meus olhos de repente
Como um tiro rebentou.

Quando sinto a tua presença
A minha pele arrepiou
O meu mundo estremece
O meu coração pulou!

Quando me perco em teu perfume
Sei que o sonho acabou
Pois a vida volta sempre
Ao ponto onde ficou!